Dankler revela sonho de voltar ao Vitória


Uma das promessas reveladas pelo Vitória na última década, Dankler não teve muito tempo de se firmar no time principal do Rubro-Negro. Destaque na base, o zagueiro não chegou a um acordo para renovação de contrato e deixou o clube antes mesmo de alcançar grandes feitos como profissional.

Hoje aos 28 anos e atuando no Vissel Kobe, do Japão, o defensor lembrou o início da carreira em entrevista ao repórter Anderson Matos, no programa Nação Rubro-Negra. “Eu cheguei no Vitória com 11 para 12 anos, no infantil. Fui, aos poucos, subindo até chegar ao profissional. Disputei todos os campeonatos baianos da base e ganhei todos os títulos. Nunca a perdi um Ba-Vi. Sou eternamente grato ao Vitória por tudo, pela a oportunidade que me deu.  Se estou aqui onde estou hoje, foi porque o Vitória me deu oportunidade e me revelou”.

O jogador, porém, lamentou a saída conturbada. “Minha saída a não foi da forma que eu pensava. Estávamos jogando a Série B quando o Vitória me chamou para renovar e não chegamos a um acordo. Tinha três propostas de fora e o Vitória não aceitou nenhuma delas. Fizemos o máximo para chegar a um acordo e infelizmente não conseguimos. Para quem acha que coloquei o Vitória na Justiça para poder sair, nunca aconteceu isso, jamais faria a isso. Não disse não ao Vitória. Tentei um acordo diante da proposta que tinha recebido de fora, que era muito boa. Eu ainda abri mão de muita coisa para ficar no Vitória. O Epifânio Carneiro, na época, me disse que iria tentar, mas depois voltou e informou que não conseguiu chegar àqueles números. Eles me afastaram do profissional e fiquei treinando com os juniores, pois tinha idade. Depois, saí para o Botafogo. Na minha carreira sou grato primeiramente a Deus e depois ao Vitória, pois o clube que me deu a primeira oportunidade, que ajudou a me lançar”.

O atleta revelou ter o sonho de voltar a vestir a camisa do Leão. “Tenho o sonho de um dia voltar ao Vitória, ter mais partidas e, quem sabe, dar alegrias à torcida rubro-negra e encerrar a carreira.  Mas, o futuro a Deus pertence. Ele sabe de todas as coisas”.

Dankler também comentou sobre a saída do Brasil e a experiência adquirida nas passagens por Estoril e Vitória de Setúbal, de Portugal, e Lens, da França. “Minha saída do Brasil, para Portugal, foi muito positiva. Somou demais. Foi muito importante para minha evolução. Cresci bastante lá. Depois, quando fui para a França, um outro tipo de futebol, foi muito bom também. Depois, voltei para Portugal, onde já estava adaptado. Só cresci e evoluí na Europa”.

Já sobre o s atual clube, o Vissel Kobe-JAP, o zagueiro comemorou a oportunidade de poder jogar ao lado do espanhol Iniesta. “Jogar com Iniesta é algo extraordinário. Jogávamos com ele no vídeo game e tínhamos o sonho de jogar ao lado dele, por tudo que fez na carreira. Para mim, tem sido uma grande evolução jogar ao lado dele”.

Por fim, o baiano de Salvador contou a atual situação do futebol japonês diante da pandemia do coronavírus. “O campeonato está parado. Só teve uma partida e depois parou. Provavelmente, vamos voltar a treinar em 1º de junho para tentar voltar aos jogos em julho. Mas, não é certeza, pois esse retorno já vem sendo adiado há dois meses”.

FONTE: GALATICOSOLINE