Conferência Estadual de Saúde discute políticas públicas do setor


A abertura oficial da 10ª Conferência Estadual de Saúde foi realizada na manhã desta segunda-feira (8) para um público de cerca de duas mil pessoas. No evento que segue até a próxima quarta-feira (10) estão reunidos usuários do Sistema Único de Saúde, trabalhadores e gestores da área de saúde.

A conferência é realizada pelo Conselho Estadual de Saúde e tem apoio do Governo do Estado por meio da Secretaria da Saúde. “Essa conferência é a consolidação do apoio da gestão estadual ao sistema de saúde. Este é o segundo evento realizado na nossa gestão e tem a participação de representantes de todos os 417 municípios que estão aqui com mais de mil delegados de saúde das suas regiões. A intenção é trazer mais informações e propostas para ampliarmos e consolidarmos o sistema de saúde em todo o estado”, explica o secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas.

A conferência magna, na abertura do evento, discutiu o tema ‘Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação e Financiamento do SUS’, que teve coordenação do professor da Universidade Federal da Bahia, Jairnilson Paim. O presidente do Conselho Estadual de Saúde, Ricardo Mendonça, explica que a partir das discussões realizadas no evento sairão as 21 diretrizes que serão encaminhados ao Conselho Nacional. “A Conferência é uma ferramenta do Sistema Único de Saúde com participação do controle social onde se discute a política estadual e nacional de saúde. Ao final, o relatório da etapa estadual e as 21 diretrizes do Estado da Bahia serão encaminhadas para a Política Nacional de Saúde”.

A abertura teve a participação do médico Drauzio Varella, convidado para falar sobre Saúde Pública. Ele ponderou que eventos como a conferência ajudam na elaboração das políticas de saúde. “O Brasil não tem política de saúde porque a cada 10 meses o ministro da pasta é trocado. Com essa mudança os estados ficam perdidos no que se refere à política nacional de saúde. A Bahia tem a felicidade ter o mesmo secretário de saúde há cinco anos e isso resulta num trabalho consistente. É muito importante trazer as pessoas pra perto e definir quais são as diretrizes. Quem vai aplicar as políticas de saúde não é o secretário, mas os profissionais que estão na ponta. Ter eventos voltados para definir esse alinhamento é fundamental”.

Fonte: SECOM / SESAB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *